TIME BANKING – IO1

No passado dia 24/05/2021 realizou-se uma reunião por videoconferência com o grupo de stakeholders (pessoas apoiadas, familiares, cuidadores e técnicos) que, em Portugal, esteve envolvido no processo de co-criação do Guia Metodológico do Projeto CAPABILITY-TB.

Esta reunião teve como objetivo dar a conhecer o documento final e apresentar os próximos passos do Projeto que envolve a criação de atividades formativas experienciais, o desenvolvimento de materiais formativos e a disponibilização de uma plataforma de formação online.

O Guia Metodológico produzido em Co-Criação (em Inglês) pode ser consultado aqui. Este documento é o primeiro Produto Intelectual do Projeto CAPABILITY-TB e foi elaborado por todos os parceiros sob a liderança e coordenação técnica do CECD Mira Sintra.

Este documento contém informação relevante sobre:

– O Projeto CAPABILITY-TB e os seus Produtos Intelectuais;

– Os principais conceitos relacionados com Bancos do Tempo;

– As ideias mais recentes sobre o funcionamento de Bancos do Tempo em cada país (Portugal, Espanha, Itália, Grécia e Áustria) e boas práticas relativas à utilização de Bancos do Tempo por pessoas com deficiência;

– Os principais resultados das sessões de co-criação;

– A caracterização e design do programa formativo;

– Referências bibliográficas.

O documento resulta do trabalho realizado em 11 sessões de co-criação envolvendo 124 pessoas nos 5 países. O Relatório com os resultados detalhados destas sessões de Co-Criação (em Inglês) pode ser consultado aqui.

– Tendo em consideração todas as contribuições retiraram-se algumas conclusões principais:

– Um Banco do Tempo é uma excelente oportunidade de participação e inclusão para as pessoas com deficiência;

– Um Banco do Tempo permite valorizar as capacidades das pessoas com base na noção de que todas as pessoas têm talentos e capacidades;

– É uma oportunidade de colocar as capacidades das pessoas com deficiência ao serviço da comunidade;

– Oferece um espaço de relacionamento social e expansão da rede de apoio na comunidade;

– Permite que as pessoas continuem o seu desenvolvimento pessoal e social, através da aquisição de novos conhecimentos e competências assim como através da vivência de novas experiências;

– Contribui para uma vida ativa, produtiva e com altos níveis de auto-estima;

– Pode ser uma experiência divertida.

Os stakeholders Portugueses congratularam-se pelos resultados alcançados tendo sido dado especial destaque ao facto de existir uma excelente recetividade por parte das entidades que gerem Bancos do Tempos para para a inclusão e participação de pessoas com deficiência nesta área.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>